Livro Observando a Natureza

Voltar Página AAB

54

Essas erupções vulcânicas gigantescas costumam ocorrer secularmente no sudeste asiático, consumindo alta quantidade de energia, causando desequilíbrio no planeta, que passa a apresentar ciclos de secas repetitivas que perseguem os povos.
Observando a tabela de cota do nível das águas do Rio Negro, notamos que este documenta os ciclos de fenômenos naturais com precisão, ao longo do tempo.

 
55
Chuva mecanizada

O livro Observando a Natureza foi editado em 1997 com a finalidade de perpetuar os fundamentos da Teoria do calor interno da Terra, explicando e interligando fenômenos geofísicos ocorrentes no interior do planeta a sua superfície. Foi criada em novembro de 1995. A chuva mecanizada é proposta nos conhecimentos adquiridos pelo autor através da Teoria.
P – Qual a essência da teoria do calor interno da Terra?
R: - Ela correlaciona os fenômenos naturais que ocorrem na superfície terrestre à energia calórica proveniente do interior da Terra. Foi criada e comprovada através de experiências científicas.

 

56
P – Quais são esses fenômenos?
R – Infinitos. O calor interno da Terra é responsável pela formação da crosta terrestre, ciclo da chuva, ventos, neves, marés, climas, formação dos desertos, existência dos rios e das florestas, etc.
P – Explique melhor.
R – De acordo com a teoria do calor interno da Terra, o planeta tem uma reserva de energia radioativa que é liberada continuamente, eternamente, suficiente para formar e remodelar sua crosta permanentemente, além de liberar calor para os assoalhos dos oceanos e continentes, mantendo as águas oceânicas e continentais em estado líquido, possibilitando uma cadeia de fenômenos que gera e mantêm a vida na superfície da crosta terrestre.
P – Fale-nos do ciclo hidrológico terrestre de acordo com essa teoria.
R – Segundo essa teoria, a principal fonte de energia das águas oceânicas é irradiada do manto através dos assoalhos oceânicos, transferindo as águas marinhas, alta quantidade de calor, principalmente nas cadeias mesodorsooceânicas, que são formações vulcânicas presentes nas bordas das placas tectônicas, nas profundezas dos oceanos, e aquelas moléculas que chegam a superfície com excesso de energia evaporam, formando as nuvens, que se deslocam através da diferença de pressão e da rotação do planeta aos continentes, trazendo-nos a chuva.

P – E o sol?
57

R – Fornece energia para aquelas moléculas d’água que necessitam de pequena quantidade de calor latente para evaporar, auxiliando o processo do ciclo hidrológico terrestre.
P – Há como mecanizar o ciclo hidrológico terrestre?
R – Seriam infinitas as contribuições da teoria do calor interno da Terra. Mecanizar a chuva seria uma delas, mas necessitaria de um grande empenho de pesquisa.
P – Qual seria o custo para levar a chuva mecanizada ao nordeste brasileiro?
R – O governo brasileiro tem todos os recursos necessários, cientistas e tecnologias. Custaria uma fração dos prejuízos das colheitas anuais que as secas vem causando às regiões sul e sudeste do Brasil.
P – E as outras regiõe?
R – Teoricamente, podemos levar a chuva mecanizada a qualquer região do planeta. Todas as populações da Terra seriam beneficiadas.
P – Essa teoria serve apenas para o planeta Terra?
R – Foi criada baseada em experiências científicas e fenômenos naturais do passado, presente e futuro da Terra e de Marte, decifrando fenômenos astrofísicos terrestres e espaciais. Portanto, é uma teoria universal.
P – Qual o futuro dessa teoria?
R – Seus fundamentos estão incorporados às culturas dos povos, explica os fenômenos naturais interligando-os, e sua essência é o fogo, a água, o ar, e a terra, que são elementos essenciais à vida. Acredito que resistirá à crítica e ao tempo.

© 2010- Little Wolf, e-mail: ivanleandro73@gmail.com