Livro Observando a Natureza

Voltar Página AAB

46
Como ocorrem os Oásis

Delta do Rio Okavago – África
Fenômenos Naturais, vol II, p. 229

É possível que sejam falhas na crosta terrestre do deserto, facilitando a superficialização do magma e de energia interna, de modo a favorecer o ciclo hidrológico terrestre e consequentemente, a vegetação localizada.

47
Semelhança entre o automóvel e a Terra

O automóvel pode ser aerodinamicamente perfeito, motor potente, resistente e rápido, mas caso não tenha combustível, é abandonado na estrada ou deixado na garagem, sendo corroído pelo tempo.
O combustível dá dinâmica ao automóvel, tornando-o útil ao homem. Com ele fazemos nossas compras, vamos ao trabalho, circulamos pelo mundo protegidos dos ventos, areias e chuvas.
Interessante que um litro de combustível, colocando no interior do motor, movimenta veículos pesando toneladas, a quilômetros de distância. Não adianta colocar toneladas de combustíveis sobre o carro, esperando que se movimente.

 

48

O mesmo ocorre em relação ao Sol e a Terra. Não adianta o Sol banhar a Terra com uma quantidade imensa de energia, esperando movimento dos mares, oceanos, fontes e rios. Formem-se as chuvas, os ventos; gere vida vegetal e animal.
Esses fenômenos observados pelos leigos, decantados pelos poetas, estudados pelos cientistas, ocorrem graças ao sinergismo da energia solar e terrestres.
A energia solar complementa a energia interna da Terra, em relação à manutenção de água em estado líquido, geração da vida e de outros fenômenos naturais.
Assim como o automóvel, a Terra depende de sua energia interna para ser útil ao homem. Caso contrário, seria apenas mais um astro no espaço.

49
Seca do Rio Amazonas e seus afluentes


Margem do Rio Negro na Seca de 2005 – Manaus

De acordo com a teoria do calor interno da Terra, a seca do Rio Amazonas e seus afluentes está diretamente relacionada ao terremoto de magnitude 7,6 na escala Richter, ocorrido na cidade de Iquitos, no Peru, no início do mês de setembro de 2005.
Traçando uma linear sobre o leito do Rio Amazonas e a cidade de Iquitos, vê-se uma reta, passando por ambos. Sob a perspectiva da teoria, as lavas do manto que ciclavam embaixo do leito do rio, foram interrompidas em seu percurso, acumulando-se na Cordilheira dos Andes, nas imediações de Iquitos, onde foi liberada grande quantidade de energia durante o terremoto, cujo epicentro foi detectado pelo sismógrafo.
Esse fenômeno, provavelmente, ocorreu devido ao reajuste entre as placas tectônicas

© 2010- Little Wolf, e-mail: ivanleandro73@gmail.com