Livro Observando a Natureza

Voltar Página AAB

40
Naquela época, Pantalassa era o Oceano Gigantesco que banhava Pangéia. Ao ocorrer o afastamento dos blocos continentais, foram sendo formados os Oceanos Pacífico, Atlântico, Índico, Antártico e Ártico.
No processo de fragmentação da Placa Tectônica, devemos lembrar que a água resfria a lava rapidamente, formando rochas nas bocas dos vulcões, criando obstáculos para a atividade vulcânica.
Acredito que material radioativo, com imensa quantidade de energia, sobe do interior do manto e não consegue vencer a resistência imposta pelos blocos continentais e pelos oceanos, permanecendo armazenada imediatamente abaixo da crosta, durante milhões de anos. Nesse período, favorece o ciclo hidrológico e, consequentemente, a multiplicação dos seres vivos.
De repente, a quantidade de energia armazenada imediatamente abaixo da crosta, é suficiente para vencer a resistência imposta pelas placas tectônicas, liberando-se na forma de vulcões, terremotos e plumas, causando divisão dos blocos continentais, mudanças no clima e extinção de espécies.
Interessantemente a ciclicidade desses fenômenos; repetem-se a cada sessenta a cem milhões de anos, há mais de trezentos milhões de anos!
41
Por que ocorrem as Eras Glaciais?

As eras glaciais mais significativas ocorrem após convulsões do planeta, provavelmente devido à eliminação súbita de grande quantidade de energia acumulada, durante milhões de anos, sob a crosta terrestre, que mantinha clima e ciclos hidrológicos saudáveis, propícios para o crescimento das espécies vegetais e animais.
Ao ocorrer a eliminação de energia sob a crosta, modifica-se o clima , abaixando sua temperatura, o que altera o ciclo hidrológico, prejudicando a vida vegetal e animal, além de haver acúmulo de resíduos de substâncias poluentes na atmosfera durante as erupções vulcânicas, prejudicando o trânsito da energia solar na atmosfera. Dividiria uma era glacial em duas fases:

 

42

A – pré-convulsão do planeta
B – Pós-convulsão do planeta

Durante o período pré-convulsivo do planeta, há acúmulo de energia sob a crosta, favorecendo aumento de água sobre sua superfície, climas saudáveis e animais.
Durante o período de pós-convulsão, há diminuição da energia sob a crosta, ocorrendo decrescimento das águas sobre a superfície terrestre, a temperatura cai, altera a ciclo hidrológico terrestre, prejudicando as espécies vegetais e animais.
Essa divisão da era glacial explica o fenômeno do sobe e desce das águas oceânicas ao longo do tempo.

 
43
Como se explica o aumento de gelo nas calotas polares?

As causas são a migração de crostas continentais para os pólos, isolando o calor interno e o menor movimento do magma nos pólos, já que o planeta gira sobre seu próprio eixo, impedindo que o magma com material radioativo e maior energia provenha das profundezas e aflore nos pólos. Como a radiação solar é constante, não impede o aumento na formação do gelo, já que a energia geotérmica está sendo bloqueada em seu trajeto à superfície dos pólos.

 

44
Por que aumenta a temperatura nos Trópicos, enquanto nos pólos diminui?

 

Nas regiões tropicais, devido à força centrífuga e ao movimento de rotação da Terra sobre seu próprio eixo, há maior facilidade para o afloramento da energia interna do planeta, sob sua crosta. Como essas regiões cobrem maior superfície que os pólos, explica-se por que os pólos estão com temperaturas cada vez mais baixas, acumulando gelo, enquanto se eleva temperatura no planeta, como um todo.

45
Como o Rio Nilo atravessa o Deserto do Saara?


Lugares Lendários, p. 42 e 44

O leiro do rio Nilo encontra-se sobre as bordas das placas tectônicas da África e Eurásia. Provavelmente, há superficialização de magma e energia interna do planeta nas bordas das placas, favorecendo o ciclo hidrológico terrestre, o que impede as águas do rio Nilo de se infiltrarem no deserto.

© 2010- Little Wolf, e-mail: ivanleandro73@gmail.com